top of page

Estônia: cidadania virtual permite a brasileiros empreender na Europa


Abrir uma empresa na Europa pode parecer um sonho distante para muitos brasileiros. Entretanto, pelo menos um país europeu facilita os processos. É a Estônia, primeiro país que instituiu o modelo de residência eletrônica (e-Residency).


O e-Residency é uma identificação virtual emitida pelo governo estoniano que dá acesso aos serviços eletrônicos do país para pessoas de qualquer origem. Essa identificação é concedida para estrangeiros que desejam ter acesso virtual ao ambiente de negócios do país (não é uma autorização para viver na Estônia).


“Na Estônia, 99% dos serviços governamentais são realizados totalmente online. Esse modelo administrativo mudou o olhar para o sistema burocrático do país, de modo que eles entenderam que, para empresas virtuais, não há diferença entre um fundador estoniano e um fundador estrangeiro. O ambiente é online de qualquer forma”, diz Taiz Coe, coordenadora de negócios e parcerias da e-Residency.


Desde o lançamento, em 2014, o programa de cidadania virtual da Estônia já atraiu cerca de 100 mil residentes estrangeiros, de pelo menos 170 nacionalidades. Somente brasileiros, são 1.087.


O primeiro passo para ter uma empresa europeia por meio do programa estoniano é tirar o e-Residency. Coe explica que, com o passaporte em mãos, é necessário entrar no site do programa, preencher o formulário e pagar uma taxa de € 190 (R$ 1,07 mil). Com isso, o pedido será enviado ao governo estoniano e um cartão de identidade é enviado num prazo de cinco a oito semanas.


Fonte: https://forbes.com.br/forbes-money/2023/02/estonia-cidadania-virtual-permite-a-brasileiros-empreender-na-europa/?fbclid=PAAaZdQknpTCEr5q1WVGMC4ZbWXJ6EeJNZzbxLHX_Qh0DrzsdfCVQtIINbz58





29 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page